SOBRE O PSICANALISTA

O CURSO TEM REGISTRO NO MEC?

Não. Nem os nossos e nem os demais cursos de formação em Psicanálise existentes no País. Inexistem, também, cursos de Psicanálise no âmbito universitário e sim Especialização Lato Sensu. Portanto, nenhum curso de psicanálise é reconhecido pelo MEC, devido a Psicanálise ser uma teoria e não uma ciência como a Psicologia ou a Psquiatria. Por isso, em todo o mundo os cursos de Psicanálise Clínica estão debaixo da tutela das Sociedades Psicanalíticas. Concluído o curso, o psicanalista recebe um Certificado expedido pelas escolas de Psicanálise e reconhecido pelas Sociedades Psicanalíticas de cada Estado.

QUEM É O PSICANALISTA JUNTO Á CLIENTELA E AO MINISTÉRIO DO TRABALHO?

É um profissional que pratica a Psicanálise em consultórios, clínicas e até hospitais, empregando metodologia exclusiva ao bom exercício da profissão, quais sejam, as técnicas e meios eficazes da psicanálise no tratamento das psiconeuroses. Para atingir plenamente seus objetivos, o psicanalista deve ser uma pessoa com sólida formação humanitária, visto que a profissão requer uma acentuada cumplicidade entre analista e seu paciente. Os psicanalistas têm sua profissão classificada na CBO (Classificação Brasileira de Ocupações) no Ministério do Trabalho – Portaria nº 397/TEM de 09/10/2002, sob o nº 2515.50, podendo exercer sua profissão em todo o Território Nacional.

POR QUE O CURSO É ABERTO ÀS VÁRIAS PROFISSÕES?

É aberto porque nenhuma Lei especificou o contrário. Vale dizer, que desde o princípio era uma profissão aberta a quem se interessasse e que atraiu não só médicos – como Jung e Adler – mas também advogados, filósofos, literatos, educadores e teólogos, sociólogos e pedagogos. Por isso restringir a Psicanálise a essa ou àquela profissão é absolutamente contrário à ciência, ilegal e inconstitucional, pois “todos são iguais perante a Lei”.

O QUE REGULAMENTA A PROFISSÃO DE PSICANALISTA?

No Brasil e no Mundo a psicanálise é exercida livremente e não é uma profissão regulamentada. Sendo assim, é uma profissão livre, reconhecida pelo Ministério do Trabalho e Emprego (CBO – código 2515.50), amparada pelo Decreto nº 2.208 de 17/04/1997, que estabelece Diretrizes e Bases da Educação Nacional e pela Constituição Federal nos artigos 5º incisos II e XIII. Repisando: pode ser exercida em todo o País.

QUEM PODERÁ FAZER O CURSO?

Médicos, Professores, Engenheiros, Odontólogos, Advogados, Assistentes Sociais, Pedagogos, Teólogos, Enfermeiros, Pastores, Padres, Psicólogos, Contadores, etc. Este curso é dirigido a todos os interessados em adquirir conhecimentos mais profundos em Psicanálise. Aos que querem aprender a dinâmica de seus problemas emocionais e afetivos de acordo com as teorias psicanalíticas, e aos que desejam dedicar-se à Psicanálise como Terapeutas e Clinicar.

O CERTIFICADO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PSICANÁLISE É RECONHECIDO EM TODO O TERRITÓRIO NACIONAL, OU APENAS PARA o meu estado?

O certificado é válido para que você atue como psicanalista em todo território nacional sem problemas legais.

COMO FUNCIONA O CUMPRIMENTO DE TERAPIA PSICANALÍTICA PARA O CURSO DE PSICANÁLISE PRESENCIAL E À DISTÂNCIA?

É importante que você faça 10 horas mínimas de terapia psicanalítica com um psicanalista indicado pela coordenação de cursos do Cetapes. Em seguida você deve enviar um laudo assinado por este profissional, atestando o cumprimento dessas horas de terapia psicanalítica. Depois, você fará os primeiros atendimento sob supervisão do mesmo profissional que fez as 10 horas de análise pessoal com você (paciente piloto), ou seja, irá prestar contas e tirar eventuais dúvidas com ele sobre os primeiros atendimentos. Esse processo é muito simples, e você entenderá melhor ao começar o curso.

AO TERMINAR O CURSO posso ABRIR UM CONSULTÓRIO E TRABALHAR COMO PSICANALISTA?

Concluído o curso de psicanálise, e consequentemente todas as suas exigibilidades, você terá um diploma que lhe dará o título de psicanalista permitindo que você abra um consultório e possa trabalhar legalmente como tal.

AO TERMINAR UM CURSO  LIVRE DE FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE PODEREI CLINICAR COMO PSICANALISTA?

SIM. A profissão de PSICANALISTA em nosso país é LIVRE e qualquer pessoa que possua uma formação em psicanálise pode clinicar e trabalhar legalmente com a psicanálise. O que existem são pressões morais e não legais de alguns profissionais da área da saúde, principalmente médicos e psicólogos, que tentam impedir o trabalho profissional do PSICANALISTA, mas isto é somente algo de cunho político. Porque legalmente nada pode ser feito contra o exercício da PSICANÁLISE no Brasil, que é amparado por lei.

QUEM É O PSICANALISTA DENTRO DAS LEIS BRASILEIRAS?

O PSICANALISTA dentro das leis brasileiras é um profissional que trabalha em consultório, clínicas e afins seguindo a metodologia terapêutica desenvolvida por Freud ou pelos seus seguidores (neo-freudianos). Os Psicanalistas no Brasil são formados através de cursos livres ligados às Sociedades Psicanalíticas e são classificados na CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA DE OCUPAÇÕES (CBO) do MINISTERIO DO TRABALHO, Portaria número 397/TEM de 09/10/2002, sob número 2515.50. Permitindo-o trabalhar como PSICANALISTA em todo o território nacional.

PORQUE OS CURSOS DE FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE SÃO ABERTOS PARA QUALQUER ÁREA DO CONHECIMENTO HUMANO?

É aberta para todos os interessados, porque não existe nenhuma lei no Brasil que determine o contrario. Nesse caso qualquer pessoa pode fazer o nosso curso de formação em psicanálise, sem restrições. Isto quer dizer que a formação em psicanálise não é exclusiva dos médicos e/ou psicólogos, como muitos pensam e tentam levar os outros a acreditarem nesta inverdade.

ENTÃO A PSICANÁLISE NO BRASIL É DE EXERCÍCIO PROFISSIONAL LIVRE?

SIM. No Brasil a psicanálise é de exercício profissional LIVRE e não existe regulamentação profissional. E em vários outros países do mundo também é assim.

QUAIS AS ÁREAS DE ATUAÇÃO DE UM PSICANALISTA?

Há uma grande necessidade de psicanalistas para orientar as pessoas na solução de seus problemas existenciais, tais como: fobias, ansiedades, depressões, obsessões, impulsos auto e heteroagressivos, angústias e crises de toda ordem. O profissional de Psicanálise ajudará a sociedade a ficar mais humana e a vida a ter mais sentido!
Segundo o CB0 nº 2525-50 do Ministério do Trabalho e Emprego, no final do Curso de Formação em Psicanálise você estará preparado para atuar nas seguintes áreas:

AVALIAR COMPORTAMENTO INDIVIDUAL, GRUPAL E INSTITUCIONAL.

Triar casos, entrevistar pessoas, levantar dados pertinentes, observar pessoas e situações, escutar pessoas ativamente. Investigar pessoas, situações e problemas, escolher o instrumento de avaliação, aplicar instrumento de avaliação, sistematizar informações, elaborar diagnósticos, elaborar pareceres, laudos e perícias, responder a quesitos técnicos judiciais, devolver resultados (devolutiva).

ANALISAR, TRATAR INDIVÍDUOS, GRUPOS E INSTITUIÇÕES

Propiciar espaço para acolhimento de vivencias emocionais (setting), oferecer suporte emocional, tornar consciente e inconsciente, propiciar a criação de vínculos paciente-terapeuta, interpretar conflitos e questões, elucidar conflitos e questões, promover a integração psíquica, promover o desenvolvimento das relações interpessoais, promover desenvolvimento da percepção interna, mediar grupos, família e instituições para solução de conflitos, dar aula.

ORIENTAR INDIVÍDUOS, GRUPOS E INSTITUIÇÕES

Propor alternativas para solução de problemas, informar sobre o desenvolvimento do psiquismo humano, aconselhar pessoas, grupos e famílias, orientar grupos profissionais, orientar grupos específicos (pais, adolescentes, etc., assessorar instituições).

ACOMPANHAR INDIVIDUOS, GRUPOS E INSTITUIÇÕES

Acompanhar impactos em intervenções, acompanhar o desenvolvimento e a evolução do caso, acompanhar o desenvolvimento de profissionais sem formação e especialização, acompanhar resultados de projetos, participar de audiências.

EDUCAR INDIVIDUOS, GRUPOS E INSTITUIÇÕES

Estudar caso em grupo, apresentarem estudos de caso, ministrar aulas, supervisionar profissionais da área e de áreas afins, realizar trabalhar para desenvolvimento de competência e habilidades profissionais, formar psicanalistas, desenvolver cursos para grupos específicos, confeccionar manual educativo, desenvolver curso para profissionais de outras áreas, propiciar recursos para o desenvolvimento de aspectos cognitivos, acompanhar resultados de curas, treinamento.

DESENVOLVER PESQUISAS EXPERIMENTAIS, TEÓRICOS E CLÍNICAS

Investigar o psiquismo humano, investigar o comportamento individual, e grupal e institucional, definir o problema e objetivos, pesquisar bibliografias, definir metodologia de ação, estabelecer parâmetros de pesquisa, construir instrumentos de pesquisa, coletar dados, organizar dados, compilar dados, fazer leitura de dados, integrar produtos de estudos de caso.

COORDENAR EQUIPES DE ATIVIDADES DE ÁREAS AFINS

Planejar as atividades da equipe, programar atividades gerais, programar atividades da equipe, distribuir tarefas a equipe, trabalhar a dinâmica da equipa, monitorar atividades das equipes, preparar reuniões, coordenar reuniões, coordenar grupos de estudos, organizar eventos, avaliar propostas e projetos,avaliar e executar as ações.

PARTICIPAR DE ATIVIDADES PARA CONSENSO E DIVULGAÇÃO PROFISSIONAL

Participar de palestras, debates, entrevistas, seminários, simpósios, participar de reuniões científicas (Congressos, etc.), publicar artigos, ensaios de livros científicos, participar de comissões técnicas, participar de conselhos municipais, estaduais e federais, participar de entidades de classe, participar de evento junto aos meios de comunicação, divulgar práticas do psicanalista, fornecer subsídios às estratégias organizacionais, fornecer subsídios à formação de políticas organizacionais, buscar parcerias, ética e organizacional.

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

Manter sigilo, cultivar a ética, demonstrar ciência sobre o código de ética profissional, demonstrar ciência sobre a legislação pertinente, demonstrar bom senso, respeitar os limites de atuação, ser psico-analisado, ser psicoterapeutizado, demonstrar continência (Acolhedor), demonstrar interessa pela pessoa, ser humano, ouvir ativamente (saber ouvir), manter-se atualizado, contornar situações adversas, respeitar valores e crenças dos clientes, demonstrar capacidade de observação, demonstrar habilidade de questionar, amar a verdade, manter o setting, demonstrar autonomia de pensamento, demonstrar espírito crítico, respeitar os limites do cliente e tomar decisões em situações de pressão.